O que fazemos

A nossa intervenção é pautada por um cuidado específico na perturbações psicológicas e psiquiátricas, cuidado esso em que é desenvolvido um plano individual e personalizado para cada caso. Trabalhamos também com doenças degenerativas que , pela incapacitação em termos de autonomia do doente, requerem um acompanhamento mais próximo e funcional. A integração dos doentes é feita num ambiente comunitário em residência psiquiátrica numa das clínicas psiquiátricas particulares, com condições ótimas para uma progresso terapêutico e recuperação da qualidade de vida.

Para além dos serviços médico/psiquiátricos e psicoterapêuticos, as clínicas dispõe de condições de alojamento modernas para que se possa sentir acolhido da melhor forma.

Ligue-nos para saber mais informações sobre os processos de internamento e as clínicas de internamento psiquiátrico.

Internamento em clínicas psquiátricas particulares

Tipos de internamento com que trabalhamos:

Internamentos urgentes - Quando o utente se encontra em fase aguda de descompensação e necessita de uma intervenção quase imediata. Geralmente são necessários cuidados de enfermagem e administração de medicação psiquiátrica. Trabalhamos com Clínicas que asseguram o acompanhamento destes casos e admitem internamentos 24h por dia, 7 dias por semana.

Intervenção no âmbito dos comportamentos aditivos - Á face do descrito anteriormente, também o internamento para o tratamento de comportamentos aditivos poderá ser feito de forma urgente, mas, na maioria dos casos, a pessoa ou os seus familiares têm tempo para sondar que tipo de comunidade será mais indicada, qual o modelo que deverão escolher, etc. Neste sentido, poderemos ajudar a tomar uma decisão ponderada e com base nas caraterísticas individuais de cada pessoa. Trabalhamos com Comunidades Terapêuticas que apresentam diferentes modelos de intervenção (Psicoterapia individual, Psicoterapia de Grupo, Modelo de 12 passos, etc.).

Internamento Pós-Hospitalar de acompanhamento - É muitas vezes um internamento que completa/complementa o tratamento feito em meio Hospitalar que poderá mostrar-se como um importante processo na estabilização psíquica do utente, mas, que poderá ser completado com um tratamento mais personalizado. É indicado naquelas situações em que o próprio ou os familiares acham que o internamento Hospitalar não foi suficiente.

Internamento Psiquiátrico - Para o tratamento de perturbações psiquiátricas graves e persistentes, que pela dificuldade no tratamento ambulatório poderão beneficiar de um tratamento mais próximo em contexto de internamento.

Tratamentos Exclusivos - Para pessoas que pretendem um tratamento mais direccionado e personalizado, tendo uma equipa de saúde mental a trabalhar em exclusivo com esse utente.

Tratamento psiquiátrico em internamento

Algumas patologias da saúde mental que podem beneficiar de um tratamento em internamento são:

Perturbação Depressiva Major

Caraterizada por sintomas como: humor depressivo, diminuição do interesse ou prazer por atividades, alterações do apetite, insónia, alterações psicomotoras, fadiga, sentimentos de desvalorização ou culpa, diminuição da capacidade de pensamento ou concentração, pensamentos recorrentes acerca da morte, ideação suicida.

Perturbação Obsessivo-Compulsiva, também conhecida como POC

As caraterísticas essenciais são as obsessões, tais como, ideias, pensamentos, impulsos ou imagens persistentes e compulsões, tais como comportamentos ou atos mentais repetitivos. Esta características têm um impacto muito significativo sobre a vida do indivíduo, reduzindo em muito a sua autonomia funcional.

Ansiedade generalizada

Carateriza-se por ansiedade e preocupação exageradas acompanhadas de agitação, fadiga, dificuldade de concentração, irritabilidade e sono perturbado. Estes sintomas têm uma frequência muito elevada precisando portanto de uma atenção clínica permanente.

Ataques de pânico

Os sintomas incluem palpitações, suores, dificuldades em respirar, dores no peito, tonturas ou sensações de cabeça oca, desrealização ou despersonalização, medo de perder o controlo, medo de morrer. Estes ataques podem decorrer no contexto de outras perturbações psiquiátricas.

perturbações do comportamento alimentar

Recusa em manter um peso corporal normal mínimo (anorexia) ou episódios repetidos de voracidade alimentar, seguidos por comportamentos compensatórios inapropriados (bulimia). A caraterística comum a estas duas perturbações é a existência de uma distorção marcada da imagem corporal.

Perturbações do neurodesenvolvimento

Caraterizam-se por um défice grave e global em diversas áreas do desenvolvimento: competências socias, competências de comunicação ou pela presença de comportamentos, interesses e atividades estereotipadas (p.e Autismo).

Comportamentos aditivos, dependências

Incluem perturbações relacionadas com o consumo de uma droga de abuso, incluindo o álcool, (dependência, abuso intoxicação e abstinência). Incluem também adições comportamentais, tais como o jogo patológico, compras compulsivas, entre outras. Mais recentemente a dependência da internet tem também vindo a incluir este lote de perturbações.

Esquizofrenia e outras psicoses

Carateriza-se por uma eventual perda de contacto com a realidade, com sintomas como agitação/lentificação psicomotora, comportamentos, afetos e produção de pensamento disfuncionais e halucinações sensoriais que causam marcada disfunção social ou ocupacional.

Perturbação bipolar

A evolução clínica desta perturbação é caraterizada pela presença de episódios maníacos ou mistos (incluem episódios depressivos). Esta é uma perturbação marcada pela elevada instabilidade emocional.

Perturbações sexuais, parafilias

Caraterizam-se por perturbações do desejo sexual e das modificações que caraterizam o ciclo de resposta sexual ou dor associada ao ato sexual.

Perturbações do sono

Surgem de anomalias endógenas dos mecanismos de génese e horário de ciclo sono-vigília, frequentemente complicadas por fatores de condicionamento.

Perturbações de personalidade

Os traços de personalidade são desadaptativos, causando incapacidade funcional significativa ou sofrimento subjetivo: perturbação paranoide, esquizoide e esquizotípica da personalidade; Perturbações antissocial, estado-limite Borderline, histriónica e narcísica da personalidade; Perturbação dependente, evitante e obsessivo-compulsiva da personalidade.

Perturbações psicossomáticas

Padrão de queixas somáticas clinicamente significativas, recorrentes e múltiplas. Uma queixa somática é considerada clinicamente significativa se resulta em tratamento médico ou causa incapacidade significativa no funcionamento social e ocupacional.

Hiperatividade e défice de atenção

Padrão persistente de falta de atenção e/ou impulsividade-hiperatividade, com uma intensidade que é mais frequente e grave que o observado habitualmente em sujeitos com um nível semelhante de desenvolvimento.

Perturbações neurodegenerativas

Caraterizam-se pelo desenvolvimento de défices cognitivos múltiplos (incluindo diminuição da memória) devido aos efeitos diretos de um estado físico geral, aos efeitos persistentes de uma substancia ou a múltiplas etiologias. Nestas se incluem por exemplo: Alzheimer, parkinson, demência frontal, esclerose múltipla, entre outras.

Perturbação Pós-Stress Traumático

Desenvolvimento de sintomas característicos a seguir à exposição ou observação de um stressor traumático extremo, implicando uma experiencia pessoal direta com o acontecimento que envolva morte, ameaça de morte ou ferimento grave. Nesta perturbação o doente está constantemente a reexperienciar os sintomas de grande activação cognitiva, emocional e comportamental que havia experienciado aquando do contacto com o evento stressor.